Atendimento: Segunda à Sexta | 08:30 às 17:30 Celular e WhatsApp: (51)99348-8289 e (51)99172-2448

Coronavírus

CORONA__CREFONO-7

O Crefono7 informa aos Fonoaudiólogos e a Sociedade Gaúcha que está cumprindo todas as medidas de segurança estabelecidas pelo Ministério da Saúde e informa que do dia 17 ao dia 20 de março terá horário especial de atendimento das 10h às 16h. A partir do dia 23 de março, segunda-feira, a sede do Crefono7 não terá expediente externo, afim de evitar a circulação de profissionais e também primar pela saúde dos funcionários. Fique atento, pois todas as informações sobre reabertura do Conselho, bem como orientações, serão informadas através dos nossos meios de comunicação oficial.

Todas as informações referentes a documentação podem ser adquiridas através do nosso site: www.crefono7.org.br e os serviços administrativos podem ser solicitados via e-mail através do crefono7@crefono7.org.br. Este é um momento em que todos devemos respeitar as recomendações de isolamento para juntos conter o Coronavírus e evitar a superlotação dos hospitais e unidades de saúde. 

Os profissionais devem utilizar ações de precaução padrão, de contato e de gotículas, e para algumas situações medidas de precaução por aerossóis.

Prevenção e controle para atendimento de casos suspeitos ou confirmados.

Transmissão
De acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), alguns coronavírus são transmitidos de pessoa a pessoa pelo ar (secreções aéreas do paciente infectado). Na maioria dos casos, a transmissão é limitada e se dá por contato próximo, ou seja, qualquer pessoa que cuidou do paciente – como profissionais da saúde ou familiares – que tenham tido contato físico e/ou tenham permanecido no mesmo local que o paciente doente.

Sintomas
Os primeiros sintomas costumam aparecer cinco dias após o contato com o vírus e são semelhantes aos de uma gripe comum: febre, tosse, dor muscular, cansaço e, muitas vezes, início de pneumonia. A demora para procurar um hospital pode agravar os sintomas e causar doenças respiratórias mais graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), dificultando a possibilidade de tratamento e podendo levar o paciente a óbito. Ainda segundo a SBI, podem não ocorrer sintomas em alguns casos.

Caso o fonoaudiólogo, ou algum outro profissional da área de saúde, perceba um caso suspeito, deverá encaminhar o paciente para atendimento médico com o descritivo dos sintomas observados. A realização de um exame de biologia molecular é a única forma de identificar o material genético do vírus.

Prevenção
Enquanto uma vacina não estiver disponível, o melhor remédio é se prevenir adotando cuidados básicos no dia a dia. Lavar as mãos regularmente, cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar, evitar aglomerações e ambientes fechados, não compartilhar objetos de uso pessoal (talheres, pratos, copos e/ou garrafas) e utilizar lenços descartáveis são hábitos fundamentais neste momento. Além disso, é recomendável investir em práticas para fortalecer o sistema imunológico.

O fonoaudiólogo deverá seguir as recomendações de biossegurança, de acordo com as especificidades de sua área de atuação.